Conheça-me

Geovani P.Cruz
Florânia, Rio Grande do Norte, Brazil
Formado em Pedagogia pela UVA, professor da rede municipal de ensino, agricultor e vereador.
Visualizar meu perfil completo

Parceiros

Tecnologia do Blogger.

Acessos

contador free
sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

O diálogo e a reflexão marcou a palestra da professora mestranda Divoene Pereira na Semana Pedagógica de Tenente Laurentino/Rn

Divoene Pereira num reencontro pedagógico com amigos e colegas professores



A Educação do município de Tenente Laurentino vivenciou nos últimos dias um momento ímpar de discussão e interação dialógicas entre os educadores daquele município: a palestra proferida pela Professora/Educadora Divoene Pereira, mestranda em Educação pela UFRN.

A referida palestra que teve como tema: A Profissão e profissionalidade docentes aconteceu durante a Semana Pedagógica daquele município, organizada pela Secretaria Municipal de Educação e Prefeitura Municipal. A professora Divoene Pereira, que está concluindo o Mestrado em Educação, e em virtude disto se encontra muito atarefada, recebeu com muita alegria o convite feito pela Secretaria Municipal de Educação e demonstrou disposição em dar as suas contribuições educativas naquele município que foi por muito tempo o lugar onde exerceu o magistério.

Naquela tarde, o diálogo pedagógico estabelecido entre Divoene Pereira e seus colegas professores foi muito significativo, pois se tratava também de um reencontro com os seus antigos companheiros de jornadas educativas.

Durante a sua fala A professora Divoene Pereira ressaltou o compromisso dos professores para com a transformação social e a ética humana que segundo a sua visão são alguns dos critérios indispensáveis na ação educativa crítica e democrática. Neste sentido, Divoene Pereira abordou a Pedagogia de Paulo Freire enquanto referencial teórico para a educação escolar, além de enfatizar a questão curricular como um componente central no processo ensino-aprendizagem.

Divoene Pereira comentou: " Meus amigos, estou muito feliz em voltar a Tenente Laurentino, pois aqui iniciei a minha trajetória pedagógica. Hoje, retorno numa outra etapa da minha vida, como Mestre em formação, como pesquisadora, pensadora, orientadora e sempre professora. Volto para discutirmos uma perspectiva educacional mais ampla, onde o nosso aluno ocupa lugar central em nossas práticas educativas."

Ao final, a palestrante foi muito aplaudida e cumprimentada pelos amigos e colegas professores, os quais se mostraram muito felizes com aquele encontro dialógico e reflexivo. Em seguida houve uma confraternização entre os professores e demais autoridades presentes.

Blog do Geovani Pereira
quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

FLORÂNIA: OPOSIÇÃO SE MANTERÁ UNIDA EM TORNO DE UMA CHAPA MAJORITÁRIA PARA VENCER AS ELEIÇÕES !!!

Zé Zoroastro Presidente do PT, Geovani P. Cruz Presidente do PSB, Dep. Fátima Bezerra(PT), Socorro Gouveia(PT), Claudio Pinheiro (PV) e Pedro Paulino(PT) e Presidente do STR de Florânia.

"FRENTE AMPLA DE OPOSIÇÃO UNIDA JAMAIS SERÁ VENCIDA"


Após consultas realizadas nas bases políticas a FRENTE AMPLA DE OPOSIÇÃO formada pela união indissolúvel dos Partidos PSB, PT, PSDC, PV e PHS deverá logo mais anunciar os nomes que comporão a Chapa Majoritária da oposição que será vencedora na eleição de 2012, conforme apontam nos quatro cantos à vontade e o desejo dos floranienses que amam a terra das flores.

A composição versará em torno dos nomes de Claudio Pinheiro (PV), Geovani P.Cruz (PSB) e Socorro Gouveia (PT).

Conforme avalia o Vereador de oposição Geovani Pereira(PSB), um dos idealizadores da FRENTE AMPLA, “é chegado o momento de anunciarmos os nomes para a chapa majoritária é esse o sentimento expressado pela população, quem pensar diferente estará fazendo o jogo do outro lado e enfraquecendo o Projeto de Oposição”. Adverte Geovani.

Anterior ao anuncio com os pré-candidatos será feito uma reunião com os Presidentes dos Partidos que representa o fórum deliberativo da FRENTE AMPLA DE OPOSIÇÃO para o planejamento e encaminhamento de todo o processo.

Em resposta ao anuncio de possível divisão entre os partidos da Oposição, Geovani acredita que não passa de especulação e fantasia, já que entre os Partidos de oposição prevalecerá o Projeto em prol da coletividade e não à vontade ou capricho individual de quem quer que seja.

“E do conhecimento de todos que juntos seremos imbatíveis, qualquer postura individual ou pragmática no sentido de dividir a oposição não passará de jogo duplo para favorecer o outro lado. Já sabemos qual a melhor combinação, e acredito que prevalecerá o bom senso e espírito da coletividade, afinal todos juram amor a Florânia.” Frisa Geovani Pereira Cruz(PSB).

BLOG DO GEOVANI P. CRUZ

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

FLORÂNIA: CARNAVAL É FESTA DO POVO, FESTA DE RUA !!!

Foto: Corredor da Folia, em Florânia/RN.


Florânia vivenciou épocas de outrora no complexo da Folia, o Carnaval de 2012 em Florânia foi um dos mais animados dos últimos 08 anos, apesar das modestas bandas que se apresentaram durante as quatro noites de muita folia, com o destaque para a banda "Deixe de brincadeira".

Os floranienses e visitantes fizeram a festa acontecer até o raiar do dia, entre sol e chuva nas noites sequentes os blocos chamaram a atenção sob os olhares dos "Camarotes VIPs" e dos populares que lotaram toda a passarela e assumiram o comando dos ritmos alucinantes como Swing, axé e frevos.

"A alegria de mais um carnaval realizado fica nas lembranças dos foliões que na quarta feira de cinzas retomam a vida normal, os que ficam e reorganizam a sua agenda doméstica para o continuar da vida, e os que partem e reorganizam a bagagem levando nas indumentárias a saudade e lembranças da terra das flores, de seus familiares e do carnaval de 2012 que ficará marcado em suas mentes e corações". comenta Geovani P.Cruz


PARABÉNS AOS FOLIÕES, DONOS DA FESTA, QUE BRINCARAM EM CLIMA DE HARMONIA E PAZ !!!

BLOG DO GEOVANI P. CRUZ
terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

NACIONAL: Proposta institui política de saúde vocal para professores


Saraiva Felipe: os distúrbios vocais entre docentes são um problema crescente em nosso País.

Tramita na Câmara projeto que institui a Política Nacional de Saúde Vocal. O objetivo é avaliar e tratar questões relativas às condições de saúde da voz dos profissionais de ensino público e privado, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com a proposta (Projeto de Lei 2776/11), do deputado Saraiva Felipe (PMDB-MG), os professores deverão realizar exames médicos e fonoaudiológicos, com a finalidade de detectar indícios de alterações vocais ou patologias na laringe; participar de programas de prevenção, de recuperação e de capacitação; além de outras atividades.

De acordo com o texto, os exames serão realizados por equipe interdisciplinar dotada de médicos, psicólogos, fonoaudiólogos e assistentes sociais, com experiência comprovada na área de voz.

Prevenção e capacitação

Os programas de prevenção devem incluir oficinas de saúde vocal e auditiva e palestras, entre outras ações de promoção da saúde da voz. Já os programas de capacitação abrangerão treinamentos teóricos e práticos ministrados por fonoaudiólogos, com o objetivo de orientar e habilitar os professores em relação à importância dos princípios da saúde vocal e o uso adequado da voz profissional.

Problema crescente

“É sabido que o problema associado aos distúrbios vocais entre docentes é crescente em nosso País. Além de ações preventivas, urge considerarem-se ações positivas e políticas públicas que visem à preservação da saúde vocal dessa classe profissional que, como nenhuma outra, utiliza-se da voz para a mais nobre das missões: educar as futuras gerações de jovens do Brasil”, afirma o autor do projeto. O trabalho dos professores exige que eles usem um tom de voz muito mais alto do que o normal para serem ouvidos, especialmente em salas de aula com muitos alunos.

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e será examinado pelas comissões de Educação e Cultura; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

A Câmara já havia aprovado projeto semelhante em 2008, que seguiu para o Senado, mas não chegou a se transformar em lei. Alguns estados possuem leis estaduais criando programas de saúde vocal para seus professores.

Reportagem - Oscar Telles
Edição - Mariana Monteiro
'Agência Câmara de Notícias'
BLOG DO GEOVANI PEREIRA CRUZ

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

SAÚDE: Cirurgia a laser acaba com a dependência de óculos e lentes de contato

Correção é alta, mas não chega a zerar miopia, astigmatismo ou hipermetropia

Mulher no oftalmologista

Dormir de óculos, entrar sob o chuveiro com as lentes e ver tudo embaçado ou passar apuros porque não sabe onde guardou um outro e - pior! - não consegue enxergar direito para procurá-los. Situações como essas são bem próximas do cotidiano de quem sofre com os problemas de visão mais comuns: hipermetropia (dificuldade para enxergar de perto), miopia (dificuldade para enxergar de longe) e astigmatismo (distorção das imagens).

Cada vez mais comuns, as cirurgias de correção a laser acabam com os inconvenientes. Mas, antes de se decidir, é preciso entender as diferenças entre os métodos e ter certeza de que um deles realmente vai funcionar no seu caso. "A chance de sucesso é bastante alta, desde que o paciente seja avaliado por profissionais qualificados", afirma o oftalmologista Rubens Belfort Neto, professor da Unifesp. Ele e outros especialistas na área tiram suas dúvidas sobre o assunto.

1. Quais os principais tipos de cirurgia refrativa a laser?

São dois os principais métodos de cirurgia de correção de grau a laser: Lasik e PRK. Existem outras opções de cirurgias refrativas no mercado, inclusive utilizando bisturis, mas o laser mostrou-se muito mais preciso e, portanto, seguro.

2. Qual a diferença entre a cirurgia do método Lasik e PRK?

"O método Lasik abre uma espécie de tampinha no globo ocular, trabalha direto na córnea e depois coloca essa tampa de volta", afirma o oftalmologista Raul Damasio Ribeiro de Castro, cirurgião do Hospital de Olhos de Minas Gerais. "Já o PRK remove uma camada finíssima de células do olho, chamada epitélio, e faz o procedimento sem corte".

3. Quantos graus de miopia, astigmatismo e hipermetropia cada método é capaz de corrigir?

Segundo o oftalmologista Renato Neves, sócio fundador da Sociedade Brasileira de Cirurgia a LASER e membro da American Academy of Ophthalmology, o método Lasik é capaz de corrigir até 12 graus de miopia e seis de hipermetropia e quatro de astigmatismo. Já o método PRK, corrige até quatro graus dos três problemas.

4. Quais os pré-requisitos para realizar a cirurgia?

"O paciente deve ser maior de 18 anos, ter correção estável, ou seja, sem aumento de mais de meio grau no último ano ou um grau nos últimos dois anos e não apresentar doenças corneanas, como olho seco", pontua o oftalmologista Renato.

A cirurgia também não é recomendada para pacientes com doenças autoimunes e doenças sistêmicas, como o diabetes, pois o resultado final também depende da cicatrização. A mulher não pode estar grávida ou amamentando e a córnea deve ter uma espessura que permita a remoção de material sem prejudicá-la, o que é descoberto nos exames solicitados pelo oftalmologista. Por fim, o astigmatismo do paciente deve ser saudável ou benigno, ou seja, o formato irregular da córnea deve ser simétrico.

5. Qual tipo de anestesia utilizado em cada método?

O pré-operatório dos métodos é igual. "O paciente recebe uma anestesia atópica, feita com gotinhas de colírio", afirma o oftalmologista Rubens.

6. Quanto tempo dura a cirurgia pelos dois métodos?

"O tempo de cirurgia depende do grau do paciente. Mas, em geral, leva cerca de 15 minutos e você pode ir para casa no mesmo dia", diz Raul de Castro.

7. Como é o pós-operatório de cada método?

Segundo Raul, a cirurgia feita pelo método PRK é mais desconfortável no início e apresenta uma recuperação visual mais demorada - a visão pode ficar embaçada até duas semanas após a cirurgia, com possibilidade dor nos primeiros três dias. Até por isso, o primeiro método é aplicado em duas sessões, com um olho operado de cada vez. No método Lasik, não há dor e o paciente consegue enxergar normalmente algumas horas depois do procedimento. A claridade incomoda nos dois ou três primeiros dias da cirurgia pelo método Lasik e pode irritar os olhos até três semanas depois da cirurgia feita pelo método PRK. Em ambos os casos, o problema pode ser resolvido com óculos escuros.

Já as recomendações pós-operatório são as mesmas: utilizar colírio antibiótico por cerca de três semanas e evitar qualquer atividade que possa causar algum trauma na região operada e não entrar em piscinas. ?A cirurgia também causa diminuição da produção de lágrimas entre três e seis meses após o procedimento. Por isso, pacientes que sentirem secura ocular nos dias que seguirem ao da cirurgia devem aplicar colírio lubrificante recomendado pelo médico?, complementa.

8. Quais as possíveis complicações?

"Toda cirurgia, por mais simples que seja, oferece algum risco de infecção. No caso da refrativa, a afirmação continua verdadeira, ainda que esse risco seja mínimo", alerta Rubens.

9. Como é o resultado?

"Se o pré-operatório for feito por um profissional qualificado, a cirurgia permite que 98% dos pacientes atinjam uma visão boa o suficiente para obtenção de carteira de habilitação sem óculos um mês após o procedimento", afirma Renato.

10. É possível fazer a mesma cirurgia mais de uma vez?

De acordo com Raul, a cirurgia pode ser feita mais de uma vez, mas médico e paciente devem avaliar se os riscos de uma nova intervenção valem a pena. "Uma nova cirurgia só é indicada quando o grau residual do paciente não permite a convivência sem os óculos. Nos demais casos, ela não é recomendada por causa do desgaste realizado na córnea", explica.

Escrito por Laura Tavares
Blog do Geovani P. Cruz

SAÚDE: Varicocele é a principal causa de infertilidade entre os homens

Dr. Conrado Alvarenga - Ginecologia e obstetrícia

Saiba como reconhecer, prevenir e tratar a doença

A varicocele é a dilatação das veias que drenam o sangue dos testículos. Ela ocorre devido a uma insuficiência das veias de drenagem desses vasos, o que leva ao represamento sanguíneo e o aumento do volume destas veias, formando varizes. Embora muitos nunca tenham ouvido sequer falar na doença, ela é a principal causa de infertilidade nos homens, pois associa-se a alterações na produção e qualidade dos espermatozoides.

A varicocele é uma doença freqüente?

No mundo inteiro, ela ocorre em aproximadamente 15% dos homens. Em casais com problemas para engravidar, pode estar presente em até 35% dos homens. Em adolescentes, a frequência é muito semelhante à encontrada nos adultos, e seu aparecimento se dá geralmente entre os 14 e 15 anos de idade. Embora o principal sintoma seja infertilidade masculina, a varicocele também pode levar à dor e, mais raramente, à diminuição do tamanho dos testículos.

Ela é encontrada predominantemente no testículo esquerdo (75 a 95%), algumas vezes em ambos (10% a 20%) e raramente no direito.

Embora muitos nunca tenham ouvido sequer falar na doença, ela é a principal causa de infertilidade nos homens. Ela está associada a alterações na produção e qualidade dos espermatozoides.

Mas porque a Varicocele pode levar a infertilidade no homem?

O represamento de sangue ao redor dos testículos leva ao aumento da temperatura testicular. Os testículos estão situados numa bolsa (escroto) fora do corpo, e isto tem seu motivo. É que a temperatura da "fábrica" deve estar entre 1,5 e 2ºC mais baixa que a temperatura do nosso corpo.

A teoria mais aceita para explicar o papel nocivo da varicocele é que a sua presença aumenta a temperatura nos testículos e prejudica seu processo de funcionamento. Além disso, este sangue represado leva a um aumento de algumas substâncias tóxicas, como os radicais livres de oxigênio. Como conseqüência, pode ocorrer diminuição da produção, da movimentação e do funcionamento dos espermatozóides, causando infertilidade.

Como saber se eu tenho Varicocele?

Na maioria dos casos a varicocele é assintomática. Essa situação é perigosa, pois pode prejudicar a função dos testículos sem que o homem tenha sintoma algum. É fundamental consultar periodicamente um urologista para certificar-se da ausência de doenças.

O diagnóstico da varicocele é dado principalmente pelo exame físico, realizado preferencialmente por um urologista. Deve ser realizado com o paciente em pé, em uma sala tranquila e não muito fria, para que haja relaxamento da musculatura escrotal. Pede-se para o homem assoprar com força, o que pode facilitar a visualização e palpação das veias dilatadas. O exame é complementado na posição deitada.

Quando o urologista suspeita da presença de varicocele, pode confirmar com a realização de um exame de ultrassonografia dos testículos, que também deve ser realizado em pé e deitado.

Tendo varicocele, como saberei se devo tratar ou não?

Durante e investigação de um homem portador de varicocele, é fundamental que sejam realizados, no mínimo, dois exames de espermograma, para avaliar a quantidade e qualidade dos espermatozóides produzidos. É muito comum encontrarmos alterações neste exame em homens com a doença e ainda mais frequente naqueles que estão tendo dificuldades para ter filhos.

Estes homens precisam ser tratados, pois os efeitos da varicocele são progressivos e de 40 a 70% deles apresentam melhora dos resultados do espermograma após o tratamento. Além disso, as chances para conseguir a gravidez aumentam muito quando comparadas com homens que não tratam a doença.

Fica então a mensagem: todos aqueles que têm varicocele e estão tendo dificuldades para ter filho e possuem qualquer alteração do exame de espermograma devem ser tratados. Aqueles homens com dor importante ou com diminuição do tamanho do testículo também devem ser candidatos ao tratamento.

E como é o tratamento da varicocele?

Existem três opções de tratamento para varicocele, mas hoje em dia o tratamento cirúrgico é prioritariamente realizado. Ele é realizado na região da virilha do homem. Idealmente este tratamento é feito com o auxílio de um microscópio, já que as veias dilatadas são muito finas para serem vistas a olho nu. A cirurgia dura aproximadamente 45 minutos de cada lado e o paciente tem alta do hospital no mesmo dia.

Devido ao inchaço, indica-se o uso de um apoio para a bolsa escrotal durante alguns dias, conhecido como suspensório escrotal. O paciente deve evitar esforço físico por duas a quatro semanas. Relações sexuais são permitidas após dez dias.

Especialista Minha Vida
Escrito por: Dr. Conrado Alvarenga - Ginecologia e obstetrícia
Blog do Geovani P.Cruz
sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Diálogos docentes: fazemos a diferença, somos professores!

Gilza Medeiros, Pedagoga, Professora e Educadora do Município de Tenente Laurentino/Rn.


Com esta matéria inauguro uma nova perspectiva de escrita em nosso blog: Diálogos docentes.

Esta inciativa decorre da relevância das conversas que temos com os colegas professores. Desta feita trago um diálogo nosso, meu e de Gilza Medeiros, amiga querida e companheira de luta pedagógica, vitoriosa em Nosso Senhor Jesus Cristo!Numa das nossas conversas, Gilza mandou-me um texto importantíssimo produzido por ela, onde a mesma aborda a questão do ser professor e fazer a diferença. Gilza pediu-me para dar minha opinião,em virtude de sermos grandes amigas e compartilharmos posições, ideias, concepções e visões acerca dos mais diversos assuntos educacionais. No intuito de enriquecer as nossas reflexões, respondi a minha amiga e compartilho publicamente esta resposta. Gilza também tem um blog (www.vidanovasetemtododia.blogspot.com ) e quem desejar pode ver o texto a que me refiro. Eis a nossa conversa:

“Minha querida amiga Gilza, Filha de Deus, pensadora, pedagoga, professora e educadora, também Mestre Gilza... Agraciada pelo milagre da vida duas vezes.

Faltam-me adjetivos para me referir a você, pois tão grande é a tua inteligência e sensibilidade, que só se assemelham a tua fortaleza em Nosso Senhor Jesus Cristo!!!

Bem minha querida, quero dizer-lhe que compartilho do seu pensamento acerca da capacidade de nós professores fazermos a diferença. Parabenizo-lhe pela consciência profissional que possuis! Penso que essa consciência, que te faz diferente, nasceu da consciência de classe que também possuis! Por isso, tu fazes a diferença! Fazes a diferença porque conheces as tuas responsabilidades sociais! E Deus te deu a vida duas vezes, por que tens uma missão grandiosa na educação deste município, do estado e do mundo! Da sua sala de aula você pode mudar o mundo sim! Nós mudamos o mundo quando fazemos a nossa parte, por pequena que seja!

Peço licença para acrescentar apenas umas questões reflexivas, no intuito de enriquecer o seu importantíssimo texto. Posso? Vamos lá. Podemos cumprir a nossa responsabilidade educativa e simultaneamente lutar pelos nossos direitos. Estou falando das nossas lutas salariais.No entanto, esta luta deve ser construída paralela a nossa função de educar e nunca como condição para que a nossa responsabilidade educativa aconteça. Se fosse assim, tínhamos que aceitar quando um médico deixa de atender um paciente por que não tem dinheiro, e esse paciente morre! O que acontece com os nossos alunos quando não conseguem aprender? Eles morrem devagarzinho todos os dias. Morrem diante da incapacidade de pensar criticamente, de lutar pelos seus direitos, de inserir-se neste mundo contemporâneo e globalizado!

E com nós professores, o que acontece? Somos acusados de incompetentes, de irresponsáveis! É justo? As duas situações são semelhantes! Conforme essa realidade as escolas viram abatedouros humanos, onde os alunos são sacrificados pelas reprovações, desistências, evasões, que eu prefiro chamar de “expulsões em massa” e nós professores somos rotulados de incapazes! Enfim, somos afetados pelas mazelas educativas que diminuem a nossa capacidade de ser gente! Sabemos que esta realidade atende a interesses escusos de quem não quer que a educação aconteça!

Diante desta conjuntura, reflitamos! Temos o direito de não educar em virtude dos baixos salários? Isto seria um absurdo, num país onde a fome ainda mata! Os baixos salários são decorrentes de uma política salarial de desvalorização do magistério, a qual precisa ser combatida. No entanto, somos nós que podemos mudar esse quadro concorda? Para isso, comecemos a refletir sobre a profissionalização e a profissionalidade docentes! Estas questões nos remetem a uma questão de classe, ou seja, a um aspecto político-social, o qual está intrinsicamente ligado à falta de consciência de classe, que infelizmente ainda não se consolidou no magistério. Mas, esta questão é muito complexa e envolve dentre outros aspectos a não consciência da importância do professor!

Por que esta desvalorização profissional não acontece com os médicos de corpos? Sabe por quê? Por que eles têm conhecimento do valor que possuem para a sociedade. Mas nós somos médicos também! Médicos de almas, de espírito, de personalidade! Quando erramos em nossa prática educativa deixamos o aluno marcado pelo resto da vida! Marcado pelo analfabetismo que mata, pelos traumas e fracassos de não conseguirem crescer profissional e pessoalmente!

Somos mestres! A nossa luta é constante, diária, em busca do conhecimento e da conscientização das pessoas. Essa missão sagrada consiste dentre outros aspectos em retirar da ignorância os seres humanos! Essa tarefa não pode e nem deve ser interrompida sejam quais forem às condições ou as circunstâncias impostas pelo sistema político, social, econômico e cultural.

Somos formadores de opinião! Somos profissionais do mais alto nível intelectual! Mas para isso precisamos estudar e estudar muito! Estudar, estudar e estar preparado para discutir com qualquer pessoa, qualquer tema! Por isso somos polivalentes!

Porém, para recebermos o título de Mestre temos que provar que ultrapassamos a barreira da mediocridade! Isso é uma tarefa difícil, pois requer dentro outros aspectos de conscientização social, que demanda muito estudo, muita reflexão, muita dedicação, muito equilíbrio emocional e acima de tudo convicção de quem somos, o que queremos e para onde vamos como profissionais. Portanto, para sermos conscientes e fazermos essa diferença se faz necessário conhecimento das estruturas sociais, políticas, econômicas e culturais que fundamentam o processo educativo.

No entanto vale a pena minha amiga, pois somos ouvidos pelo mundo e sentamos na mesa dos mais importantes debates! Nesta mesa temos que demonstrar que sabemos que conhecemos. A nós não é dado o direito de errar, pois somos referência do saber, da inteligência. Somos professores/educadores!

Em suma, mostremos para o mundo que fazemos a diferença, sim! Somos professores! Somos os profissionais autorizados a falar, quando o assunto é Educação e Ser Humano! Pensemos juntos esta questões! Até logo e fica com Deus minha amiga de fé!

Redação e postagem: Divoene Pereira -